A diretora da Cinemateca Portuguesa - Museu do Cinema, Maria João Seixas, disse à agência Lusa que a entidade vai receber, da Secretaria de Estado da Cultura, «cerca de 700 mil euros» de «dotações extraordinárias» mensais, até dezembro de 2013.

«O secretário de Estado da Cultura (Jorge Barreto Xavier) conseguiu esta verba. É dificílimo reunir qualquer montante agora e eu percebo. Estes cerca de 700 mil euros vão ser uma ajuda e teremos de fazer bastante com menos», disse a diretora da Cinemateca à agência Lusa.

Maria João Seixas sublinhou ainda que a Cinemateca procurará também reunir verbas através do mecenato cultural, para «ajudar a fazer face à tarefa que há que fazer».

A transferência destas verbas vai permitir à Cinemateca o arranque das atividades previstas já para setembro, tendo sido iniciada a divulgação da programação.

A diretora da entidade tinha vindo a lançar alertas nos últimos meses sobre o agravamento da situação financeira e de quase rotura que ameaçava o arranque da «casa do cinema», em setembro.

«Estamos todos a sofrer as consequências da crise», comentou, referindo-se à queda das receitas publicitárias nas televisões, em declarações à Lusa, no passado fim de semana.

O orçamento da Cinemateca não depende do Orçamento do Estado, mas provém da cobrança da taxa de quatro por cento de exibição de publicidade nas televisões, cujas receitas são repartidas entre aquele organismo (20 por cento) e o Instituto do Cinema e Audiovisual (80 por cento).