Aos 79 anos, Judi Dench sofre de graves problemas de visão e foi submetida recentemente ao uma cirurgia ao joelho, mas não pensa sequer em pôr um ponto final na carreira. Em entrevista à revista «The Hollywood Reporter», a atriz britânica disse que, apesar de já não conseguir ler os guiões dos filmes em que participa, «reforma» é «a palavra mais ofensiva» do seu dicionário.

«E "velha" é outra dessas palavras. Não permito que a utilizem em minha casa. E ser chamada de "vintage". Não quero nenhuma dessas palavras velhas», explicou Dench.

Judi Dench sofre de degeneração macular, uma doença que também afetou a mãe da atriz, e que tem condicionado a sua vida.

«Não gosto de lhe dar muita importância, mas é difícil. É muito, muito difícil. Já não consigo ler, já não consigo pintar como antes. Tento ver filmes, mas é muito difícil», confessou.

«Mas isto são coisas negativas e não quero pensar muito nelas. O que eu consigo fazer, faço», acrescentou a atriz que, na preparação para a rodagem de «Filomena», preferiu que o realizador e coprotagonista Steve Coogan lhe lesse o guião do filme.

«É a criança dentro de mim. Acho que ter alguém que venha e me conte a história é algo irresistível.»

Com «Filomena», Judi Dench foi nomeada para os prémios de Melhor Atriz Principal nos Globos de Ouro e nos Bafta, que acabou por não vencer, mas poderá ainda ganhar o seu segundo Óscar, troféu que venceu em 1999, como Melhor Atriz Secundária, pelo desempenho em «A Paixão de Shakespeare».

Dench está atualmente na Índia a rodar o seu próximo filme, a sequela de «O Exótico Hotel Marigold», que deverá estrear em 2015. E, se depender da atriz, este não será o seu último papel no cinema.