No dia em que «Os Simpsons» celebram 25 anos, recordamos alguns momentos sobre a história desta família amarela, entre eles episódios com os atletas portugueses  Carlos Lopes e Cristiano Ronaldo.

Um fator determinante no sucesso do programa, que atingiu o seu auge nos anos 90, são as inúmeras referências reais que incorpora, que não só se dirigem a um público geral, mas também a audiências mais seletivas, como é o caso de Portugal.



Temos como exemplo a aparição nesta série animada do ex-campeão olímpico português, Carlos Lopes, um dos melhores da sua geração e uma referência mundial do atletismo de longa distância.



Uma referência mais recente é o futebolista Cristiano Ronaldo, que surge a tocar à porta da casa da família amarela, e faz a chamada «cueca» a Homer, que responde com a icónica interjeição «D’Oh».

A série criada por Matt Groening foi considerada a «melhor série televisiva de sempre» pela Time, e pode-se gabar de ser o programa de ficção há mais tempo transmitido nos Estados Unidos.

O programa não se reduz à história da família, composta pelo barrigudo amante da cerveja «Duff» que faz tudo por não usar a cabeça, pela dona de casa de cabelo azul, pela dedicada e inteligente filha que toca saxofone, pelo irreverente menino de oito anos sempre acompanhado do skate ou fisga, e pela bebé de chucha que nunca aprendeu a falar mas manuseou armas de fogo, mas foca-se muito nas suas relações.

«É muito simples: a paródia, comédia, e a inclusão da cultura pop não são o centro do programa, mas sim os seus relacionamentos, que os tornam credíveis o suficiente para amar», defendeu Christopher Irving, um escritor e historiador da cultura pop.

 
O cartoonista inspirou-se na sua própria família para desenhar «Os Simpsosns», tendo apelidado as personagens com os seus nomes, ou parecidos: Homer, Margaret (que virou Marjorie) , Lisa, e Maggie, mas quando chegou a hora de escolher o nome de «Bart», não pôs o seu.
  «Ia chamar a personagem principal Matt mas achei que não ia ser bem visto numa reunião para tentar vender os desenhos animados por isso mudei para Bart».
Patricia Ann Groening, a sua terceira irmã não ficou incluída na família principal, mas emprestou o nome a Patty, irmã de Marge.

A primeira aparição dos Simpsons foi no The Tracey Ullman Show em abril de 1987, e ganharam de imediato popularidade, tanta que a FOX decidiu apostar no projeto de Groening. O início oficial da série data 17 de dezembro de 1989, com um mágico episódio de Natal, em que se juntou à família o canino «Ajudante do Pai Natal».
 

Porque é que os Simpsons são amarelos?

«Na hora de escolher a cor, não quis apostar nas cores convencionais dos desenhos animados. Uma animadora apareceu com os Simpsons amarelos e, assim que ela me mostrou, disse: 'Esta é a resposta!'. Quando os telespetadores estiverem a fazer zapping pelos canais, e piscar um flash de amarelo, todos saberão que está a dar ‘Os Simpsons’», explicou Groening em 2007.

E o zapping não foi de facto problema, com a série a ganhar mais de trinta Emmy’s e um Peabody, e a continuar a chegar a ecrãs de todo o mundo, sendo que o sucesso em Portugal é incontestável.