Brad Pitt faz 50 anos esta quarta-feira e a associação de reformados dos EUA decidiu fazer uma pequena brincadeira com o ator. Pitt é a estrela da capa de uma edição especial da revista da AARP (Associação Americana de Pessoas Reformadas).



Tudo não passou de uma brincadeira e a capa da revista foi criada apenas para celebrar o 50º aniversário do ator. Mas a verdade é que, aos 50 anos, Brad Pitt já pode ser um associado da AARP.

A propósito da efeméride, a revista «Time» escolheu os dez melhores papéis de Brad Pitt no cinema. Desde o pequeno papel em «Thelma e Louise», em 1991, até ao recente «Moneyball - Jogada de Risco», de 2011, passando por outros desempenhos marcantes como em «7 Pecados Mortais» (1995), «12 Macacos» (1995), «Clube de Combate» (1999) e «O Estranho Caso de Benjamin Button» (2008).







O site DigitalSpy recupera outros momentos da carreira de Brad Pitt, como um anúncio de televisão em 1989, o filme que deu origem à relação com Angelina Jolie, «Mr. e Mrs. Smith» (2005), e o filme mais lucrativo protagonizado e produzido pelo ator, «WWZ: Guerra Mundial», que este ano fez mais de 392 milhões de euros nas bilheteiras.







Fama e dinheiro não faltam a Brad Pitt, mas o reconhecimento pelo seu trabalho ainda não se traduziu com um Óscar, o tão cobiçado prémio da indústria cinematográfica de Hollywood. Pitt foi nomeado em três ocasiões - duas para Melhor Ator Principal («Moneyball» e «O Estranho Caso de Benjamin Button») e uma outra para Melhor Ator Secundário («12 Macacos»), mas saiu sempre derrotado.

Para além de «WWZ: Guerra Mundial», pudemos ver Brad Pitt este ano no grande ecrã no recente «O Conselheiro», e em janeiro será um dos elementos do elenco de «12 Anos Escravo», embora num papel de menor dimensão.

Atualmente, Pitt está a rodar «Fury», um filme sobre um grupo de soldados norte-americanos com uma missão secreta durante a Segunda Guerra Mundial.