Oito longas-metragens, entre as quais «Idiots & Angels», de Bill Plympton, premiada no Fantasporto, integram a competição do Monstra - Festival de Animação de Lisboa, que começa na segunda-feira.

O festival, que decorrerá até ao dia 15 no cinema São Jorge, apresenta uma programação centrada na produção do cinema de animação da Suíça e dedica a competição às longas-metragens (nos anos pares é dedicada às curtas-metragens).

Dos oito filmes este ano a concurso, destaque para «Idiots & Angels», do realizador norte-americano Bill Plympton, exibido no Cinanima em Novembro e distinguido em Fevereiro no Fantasporto com os prémios de melhor filme e melhor argumento.

«Idiots & Angels», filme sem diálogos centrado num anjo pouco convencional, será exibido no dia 11 no São Jorge.

Em competição vão estar ainda, por exemplo, dois filmes feitos em «stop-motion» e que representam estreias em longas-metragens para os seus realizadores: «Edison & leo», do canadiano Neil Burns, e «$9,99», da israelita Tatia Rosenthal.

Os realizadores suíços Samuel e Fréderic Guillaume estarão em Lisboa para apresentar «Max & Co», considerada a mais cara produção cinematográfica suíça e que integra também a competição das longas-metragens.

«Sita sings the blues», filme com traços biográficos da realizadora norte-americana Nina Paley, e o colectivo «Fear(s) of the dark», de autores como Lorenzo Mattotti e Jerry Kramsky, foram ainda seleccionados.

Este ano o Monstra dedicará espaço à produção de cinema de animação da Suíça com uma retrospectiva que inclui obras de Claude Barras, Isabelle Favez e Georges Schwizgebel.

Este último estará em Lisboa para apresentar alguns dos seus filmes, sobretudo curtas-metragens que serão exibidas na abertura do festival.

Da produção portuguesa serão exibidas seis curtas-metragens em estreia, entre as quais «Passeio de domingo», de José Miguel Ribeiro, premiado realizador de »A suspeita», e «Diário de uma inspectora do livro de recordes», de Tiago Alburquerque.

Na segunda-feira estreará «28», filme de José Xavier, que será exibido com música ao vivo de António Sousa Dias.

Das cerca de 400 curtas-metragens feitas por estudantes de todo o mundo, a direcção do festival seleccionou 52 de países como China, Alemanha, Índia, Irão, Estados Unidos e Reino Unido.

Além do cinema São Jorge, o festival terá programação paralela, com workshops e exposições, nos museus do Oriente, de Etnologia e da Marioneta.

Nesta edição, o Monstra irá ainda homenagear o artista plástico Jorge Varanda e assinalar os 93 anos do Dadaísmo e da criação do Cabaret Voltaire, ponto de encontro de artistas em Zurique, na Suíça, em 1916.