O Presidente da República voltou a insistir, esta terça-feira, numa das ideias centrais do seu discurso nas comemorações do 10 de junho: a economia poderá continuar a crescer e o desemprego a diminuir se houver "estabilidade política e governabilidade" e a política económica for orientada para quatro objetivos fundamentais.

"Vivemos uma nova fase em Portugal depois do ano de viragem que foi o de 2014, a economia portuguesa começou a crescer, o desemprego começou a diminuir e eu estou convencido que esta tendência se pode manter no futuro se com estabilidade política e governabilidade nós conduzirmos a nossa política económica por forma a - como eu disse no último Dia de Portugal celebrado em Lamego - uma política económica orientada para quatro grandes objetivos."


As declarações foram feitas durante uma cerimónia realizada na Universidade de Sófia, na Bulgária. Cavaco Silva recuperou a mensagem deixada no Dia de Portugal, voltando a apontar os quatro objetivos que devem orientar a política económica.

Como primeiro objetivo, o Presidente da República indicou o equilíbrio das contas públicas e a sustentabilidade da dívida pública, seguido do equilíbrio das contas externas e o controlo do endividamento para com o estrangeiro.

A competitividade da economia portuguesa em relação ao exterior e uma fiscalidade em linha com os nossos concorrentes foram os outros dois objetivos preconizados por Cavaco Silva.

"Com estas orientações, independentemente de quem nos governe eu estou convencido que continuaremos numa marcha de crescimento económico, de redução do desemprego e de melhoria das condições de vida dos portugueses.".


Na cerimónia realizada esta tarde na Universidade de Sófia, que contou com a presença do Presidente da Bulgária, Cavaco Silva agraciou ainda três docentes de língua portuguesa naquela instituição: Rumen Borislavov Stoyanov, Snejina Stefanova Tomova e Zdravka Naydenova Ivanova.

O Presidente da República partirá para Bucareste, a capital da Roménia, onde inicia na quarta-feira uma visita de Estado de dois dias, a convite do chefe de Estado romeno.