A Liga Portuguesa de Futebol Profissional teve um resultado positivo de pouco mais de um milhão de euros no exercício relativo à época desportiva 2007/08, sobretudo devido a um forte crescimento das receitas de patrocínios.

Segundo o relatório de contas, o último exercício fechou com um lucro de 1.044.475,23 euros, um enorme crescimento face ao lucro de 180.665,51 euros do ano anterior.

No que diz respeito à arbitragem, a liga portuguesa gastou com a arbitragem pouco mais de 3,2 milhões de euros na última época, despesa que corresponde a cerca de um quarto dos 12,2 milhões de receitas totais na época 2007/08, escreve a Lusa.

A agressiva política comercial da liga na captação de patrocínios fez crescer as receitas para mais de 12 milhões de euros (12.259.652,29), um aumento de 58% relativamente à época anterior, numa altura em que a indústria do futebol passa por dificuldades em toda a Europa.

No total, a Liga recebeu através dos contratos de patrocínio da Liga e da Liga de Honra 8,6 milhões de euros, praticamente o dobro em relação ao ano anterior, quando essa receita, a principal do organismo, se tinha ficado pelos 4,5 milhões de euros.

Em queda estão os proveitos relacionados com as multas aos clubes, jogadores e dirigentes, que em 2006/07 ultrapassava o meio milhão de euros e que na última época caiu para os 350 mil euros.

Com 8,1 milhões de euros orçamentados, as verbas previstas com patrocínios são a maior receita da liga, a que se seguem os três milhões da concessão de direitos e o milhão e meio proveniente da inscrição e transferência de jogadores.