Há meses que os incêndios dominam o barômetro, ocupando as primeiras posições. Os fogos ainda alastram por Portugal na semana em que a Comissão Independente sobre Pedrógão Grande tornou público o seu relatório, no qual se afirma que ‘as consequências catastróficas do incêndio não são alheias às opções táticas e estratégicas que foram tomadas’.

Ninguém é poupado numa cadeia de responsabilidades que chega até ao governo. As acusações por parte da oposição foram duríssimas desde o início. E entre as vozes mais salientes lembramos aquela de Pedro Santana Lopes, que mesmo naquela ocasião voltou à ribalta na comunicação social, e que nestes dias manifestou a sua candidatura à liderança do PSD.

E numa semana marcada pelo debate do Orçamento do Estado de 2018, o relatório sobre Pedrógão Grande não foi o único ‘golpe’ recebido pelo governo. O efeito no executivo, e sobretudo no OS, das acusações contra José Sócrates são difíceis de prever, mas com grande probabilidade o caso será aproveitado pelos candidatos à liderança do PSD, agora e na corrida para as eleições de 2019.

E o orçamento? Estando prevista a sua votação final a 28 de novembro, o documento aprovado dia 12 de outubro não pareceu até agora suscitar grandes polémicas políticas. Será que o potencial consenso das medidas propostas não deixa muito espaço às críticas? O que parece evidente é que, nesta arena, os partidos da oposição poderão perder terreno, sendo de facto difícil contestar medidas como o aumento das pensões, o descongelamento das carreiras da administração pública e a revisão dos escalões de IRS.      

 

Ficha técnica:

O Barómetro de Notícias é desenvolvido pelo Laboratório de Ciências de Comunicação do ISCTE-IUL como produto do Projeto Jornalismo e Sociedade e em associação com o Observatório Europeu de Jornalismo. É coordenado por Gustavo Cardoso, Décio Telo, Miguel Crespo e Ana Pinto Martinho. A codificação das notícias é realizada por Rute Oliveira, João Lotra e Sofia Barrocas. Apoios: IPPS-IUL, Jornalismo@ISCTE-IUL, e-TELENEWS MediaMonitor / Marktest 2015, fundações Gulbenkian, FLAD e EDP, Mestrado Comunicação, Cultura e Tecnologias de Informação, LUSA e OberCom.

Análise de conteúdo realizada a partir de uma amostra semanal de aproximadamente 411 notícias destacadas diariamente em 17 órgãos de comunicação social generalistas. São analisadas as 4 notícias mais destacadas nas primeiras páginas da Imprensa (CM, PÚBLICO, JN e DN), as 3 primeiras notícias nos noticiários da TSF, RR e Antena 1 das 8 horas, as 4 primeiras notícias nos jornais das 20 horas nas estações de TV generalistas (RTP1, SIC, TVI e CMTV) e as 3 notícias mais destacadas nas páginas online de 6 órgãos de comunicação social generalistas selecionados com base nas audiências de Internet e diversidade editorial (amostra revista anualmente). Em 2016 fazem parte da amostra as páginas de Internet do PÚBLICO, Expresso, Observador, TVI24, SIC Notícias e JN.