Na semana que hoje termina, 20% dos destaques noticiosos referem-se à operação Lex, que aponta baterias para o Juiz Rui Rangel, do qual se suspeita que tenha dado sentenças a troco de dinheiro. Numa perspetiva de cooperação familiar, também a juíza Fátima Galante, por acaso sua mulher, está envolvida no caso, e diz-se por aí que terá recebido dinheiro para escrever acórdãos. Apesar de alguns dos 13 arguidos desta nova Mega operação (em Portugal é sempre tudo em grande) estarem já detidos, o juiz Rangel continua em liberdade e ontem... diz-se por aí... não terá ido trabalhar, invocando razões pessoais. A ver vamos.

E não é que um dos arguidos é, por acaso, Presidente de um clube de futebol? Justiça e futebol de mãos dadas, mais uma vez. Talvez este aspecto tenha impulsionado o tema futebol para chegar a vice-campeão da tabela de destaques da semana. Adicionalmente, o campeonato nacional está ao rubro, com problemas de trânsito evidentes na cidade de Lisboa na 4ª feira à noite, tudo porque o Sporting poderia chegar à liderança do campeonato e os seus adeptos queriam ver o que isso era. E chegou. Vamos ver por quanto tempo. Até lá é campeão de Inverno na sequência da sua vitória contra um dos Vitórias, no passado sábado.

Aproveitando para falar de outras doenças do nosso país, o número de casos diagnosticados com doença dos legionários com ligação ao Hospital CUF Descobertas subiu para 15, 3 dos quais estão nos cuidados intensivos. O surto, que surgiu no fim-de-semana e poderá estar ligado à rede de águas do hospital, conseguiu o terceiro posto no ranking dos destaques noticiosos da semana e o hospital já fez saber que está a contactar todos aqueles que ali estiveram internados entre 6 e 25 de Janeiro. É bom referir que Portugal registou no ano passado 233 casos de infecção por esta bactéria, quase 25% destes de um surto noutro hospital da capital, o São Francisco Xavier.

Ainda não se sabia quando o ranking de destaques noticiosos foi elaborado, mas o potencial processo/caso Centeno foi já arquivado por “falta de crime”. Antes de mais, o processo procurava investigar se o ministro havia beneficiado fiscalmente o presidente do Benfica (ou quiçá, um dos filhos) em troca de 2 bilhetes para um jogo. Mas não era um jogo qualquer. Tratou-se de um Benfica-Porto. E isso pode explicar muita coisa, inclusive a celeridade com que se fizeram buscas no Ministério das Finanças a partir de uma notícia de jornal. E a ainda maior velocidade com que fecha o processo, assumindo-se que era um “não caso”.

Ou a necessidade de, com o alarme social daí resultante, tornar mais quente e viva uma semana fria de Janeiro onde, parece, as temperaturas vão descer ainda mais. Vamos ver como se aquecem os portugueses na próxima semana.

Gráfico:

 

Ficha técnica:

O Barómetro de Notícias é desenvolvido pelo Laboratório de Ciências de Comunicação do ISCTE-IUL como produto do Projeto Jornalismo e Sociedade e em associação com o Observatório Europeu de Jornalismo. É coordenado por Gustavo Cardoso, Décio Telo, Miguel Crespo e Ana Pinto Martinho. A codificação das notícias é realizada por Sofia Barrocas e Inês Balixa. Apoios: IPPS-IUL, e-TELENEWS MediaMonitor / Marktest 2015, fundações Gulbenkian, FLAD e EDP, Mestrado Comunicação, Cultura e Tecnologias de Informação, LUSA e OberCom.

Análise de conteúdo realizada a partir de uma amostra semanal de aproximadamente 413 notícias destacadas diariamente em 17 órgãos de comunicação social generalistas. São analisadas as 4 notícias mais destacadas nas primeiras páginas da Imprensa (CM, PÚBLICO, JN e DN), as 3 primeiras notícias nos noticiários da TSF, RR e Antena 1 das 8 horas, as 4 primeiras notícias nos jornais das 20 horas nas estações de TV generalistas (RTP1, SIC, TVI e CMTV) e as 3 notícias mais destacadas nas páginas online de 6 órgãos de comunicação social generalistas selecionados com base nas audiências de Internet e diversidade editorial (amostra revista anualmente). Em 2016 fazem parte da amostra as páginas de Internet do PÚBLICO, Expresso, Observador, TVI24, SIC Notícias e JN.