A Autoridade Tributária de Espanha pede dois anos e meio de prisão para o antigo piloto espanhol de MotoGP Sete Gibernau, acusado de duas fraudes fiscais cometidas em 2006.

Perante um tribunal de Barcelona, Gibernau, de 44 anos, defendeu-se nesta terça-feira da acusação de fraude fiscal, no valor de 774.000 euros, nas declarações de rendimentos e património de 2006, segundo escreve a agência Lusa.

De acordo com a acusação, Sete Gibernau alegou, em 2006, ainda viver na sua residência fiscal em Chatêl-Saint-Denis, na Suíça, quando já residia em Esplugues de Llobregat, em Barcelona.

O vice-campeão de MotoGP em 2003 e 2004 assegurou que a habitação em Chatêl-Saint-Denis «aparecia como residência fiscal em todos os contratos» e que apenas voltou a viver em Barcelona em 2007.