A presidente do PS e secretário-geral em exercício, Maria de Belém, desconvocou esta segunda-feira a reunião da Comissão Política Nacional, que tinha como ordem de trabalhos a discussão dos projetos socialistas para a reforma do sistema político.

Esta decisão de Maria de Belém, que assume as funções de secretária-geral do PS em exercício, na sequência da demissão de António José Seguro da liderança deste partido, foi avançada à agência Lusa por membros da Comissão Política.

«Com a decisão da direção da bancada socialista de retirar o agendamento dos projetos para a reforma do sistema político, a reunião da Comissão Política do PS de terça-feira ficou vazia de conteúdo», justificou à agência Lusa um dos vice-presidentes da bancada socialista.

A Comissão Política Nacional do PS de terça-feira seria alargada a deputados da bancada socialista, que maioritariamente contestam os projetos de reforma do sistema político que foram propostos pelo líder demissionário, António José Seguro.

Face à eleição do presidente da Câmara de Lisboa, António Costa, como candidato a primeiro-ministro, na sequência das eleições primárias de domingo, e na sequências das demissões de António José Seguro e do líder parlamentar, Alberto Martins, deixou de fazer sentido o Grupo Parlamentar do PS manter o agendamento para quarta-feira dos projetos para a reforma do sistema político.

A presidente e secretária-geral em exercício do PS, Maria de Belém Roseira, convocou para dia 14 de outubro uma reunião da Comissão Nacional para marcar diretas e congresso extraordinário.
Fonte oficial do PS disse à Agência Lusa que 14 de outubro é a data mais breve permitida pelos estatutos para reunir o órgão máximo do PS entre congressos.

Na próxima Comissão Nacional, deverá ser aprovado o calendário e uma proposta de regulamento do Congresso extraordinário que será antecedido de eleições diretas para escolher o secretário-geral do partido.

Fonte da candidatura do vencedor das primárias de domingo disse à Agência Lusa que a data da Comissão Nacional foi acordada com António Costa.

António Costa venceu as primárias do PS - destinadas a escolher o candidato do partido a primeiro-ministro - com 67,88% dos votos dos socialistas, contra 31,65% de António José Seguro.

Na sequência deste resultado, António José Seguro anunciou a sua demissão de secretário-geral do PS.