Tem 22 anos, é estudante de Artes Plásticas na Universidade do Texas, em San Marcos, nos Estados Unidos, e despiu-se em protesto contra a sexualização do corpo feminino. 

Monika Rostvold quis mostrar que "o corpo não é um objeto sexual" e, com esse propósito, sentou-se nas escadas da biblioteca da universidade seminua, com os olhos vendados e de auscultadores nos ouvidos. Assim ficou durante 45 minutos. 

Inicialmente, algumas pessoas não perceberam qual era a intenção da rapariga e até a chamaram louca.  "Como sobrevivente de agressão sexual, quero tomar controlo do meu corpo, eliminando a minha presença e expondo-me publicamente. Quero que as pessoas vejam o meu corpo bonito e poderoso, não um objeto sexual", explicou à revista "Cosmopolitan". 

A ação da jovem faz parte da campanha deste ano do movimento Never asking for it, que pretende mostrar às mulheres que não importa a idade ou a aparência que têm, nunca devem ser um objeto de violência sexual. 

Segundo a legislação texana, a exibição total dos seios é considerada um atentado ao pudor. Por isso, Rostvold tapou os mamilos com adesivo cor da pele e vestiu uma tanga do mesmo tom. 

As autoridades ainda tentaram intervir, mas a jovem conseguiu convencer a polícia de que não estava  a infringir a lei.  «Antes de tudo, conversei com um advogado de defesa sobre o que queria fazer para me certificar de que ficaria tudo bem. Não queria que a polícia me prendesse», contou Rostvold em entrevista à rádio da universidade, a KTSW. 

Monika Rostvold já agradeceu o apoio aos fãs nas redes sociais.