O secretário de Cultura da região italiana de Los Abruzos, Luigi De Franis, incluiu no contrato da sua secretária uma cláusula muito invulgar: a mulher era obrigada a manter relações sexuais com ele, pelo menos quatro vezes por mês.

A inédita descoberta terá ocorrido no mês passado quando as autoridades locais encontraram uma cópia do contrato em casa da secretária, Lucia Zigarello.

A polícia tinha ido a casa da mulher de 32 anos para notificá-la com um mandado de prisão por ter participado nos subornos de De Franis a pequenos operadores culturais da região e acabou por encontrar este curioso acordo.

No contrato podia-se ler que a jovem era obrigada a manter sexo pelo menos quatro vezes por mês e pela quantia de 35 mil euros anuais.

Durante o interrogatório, a secretária explicou que foi obrigada a assinar o contrato.

«Ele estava obcecado por mim, obrigou-me a assiná-lo e não pude recusar, tive medo», declarou à Procuradoria de Pescara a secretária, que já fazia parte da equipa do membro do partido conservador «Povo da Liberdade» há vários anos.

De acordo com o jornal «Daily Mail», Luigi De Francis já se encontrava em prisão domiciliária por suborno.