A histórica cidade italiana de Veneza proibiu a utilização de malas com rodas devido à poluição sonora criada pelas bagagens barulhentas. A nova regra vai entrar em vigor a partir de maio de 2015 e, a partir dessa data, os turistas apanhados a utilizar malas com rodas na cidade serão multados em 500 euros.
 
O som incessante das malas de viagem com rodas está a causar um «grave desconforto» aos venezianos e a causar «deterioração progressiva» de lajes da pavimentação centenária, explicou o conselho municipal ao The Telegraph. No entanto, a nova regra que não se aplicará aos venezianos, reportou a revista Time.
 
«A regra responde às necessidades dos muitos moradores, que se queixaram às autoridades nos últimos anos, acerca do grave desconforto nas suas casas, ligadas à circulação de mercadorias, por vezes, protegidos pela legislação, durante a noite e no início da manhã», afirmou o Conselho de Veneza num comunicado.
 
A cidade vai permitir que os 27 milhões de turistas possam usar malas com pneus cheios de água ou outros líquidos, mas as autoridades venezianas admitem que não têm a certeza o quanto essas rodas serão infláveis.
 
«Esperamos que alguma empresa comece a produzir malas com pneus insufláveis. Temos até ao próximo maio. Alguém será capaz de os projetar e vender até lá», afirmou Maurizio Dorigo, o oficial da cidade, ao jornal The Independent.
 
O Conselho admite que a nova lei vai ser difícil de aplicar, com milhares de turistas a chegar de comboio, avião e barco todos os dias, e por as malas com rodas pneumáticas serem difíceis de encontrar.
 
Um gerente de hotel disse à BBC que a decisão é impraticável e argumentou que a cidade deve renovar os pavimentos se são muito barulhentos, em vez de fazer os turistas mudarem as suas malas.
 
A decisão está no seguimento de uma medida, posta em prática no início deste ano, para desencorajar a tendência dos casais colocarem cadeados nas pontes como símbolo do seu amor. Os funcionários alegaram que as velhas estruturas da cidade estão demasiado frágeis para suportar o peso. Este verão, cerca de 20 000 «cadeados do amor» foram removidos das pontes Rialto e Accademia.