Um novo guia de viagens, que sugere a homens cidades no mundo onde é fácil fazer sexo casual, está a dar que falar. A propaganda do site «GirlsOnAMap» é clara: está projetada para homens solteiros. Assim como o nome da página indica, o objetivo é avaliar as mulheres ao redor do mundo. Para isso, os viajantes que encontraram alguma rapariga durante as férias, por exemplo, podem colocar um post com a foto dela para que os outros rapazes que acedem ao site avaliem a beleza dela. A nota vai acumulando para que sejam definidas as mais «hot» («quentes») de todo o mundo.

De acordo com o site Takepart.com, o «GirlsOnAMap» permite aos utilizadores conhecer características de mulheres em todo o mundo: por exemplo se são recetivas ao «flirt», se gostam de festas, se são bonitas. Os utilizadores podem assim avaliar essas mulheres e recomendar os melhores destinos de acordo com o tipo físico da pessoa que os interessa: alta, curvilínea, loira ou morena. Tudo para que o cruzamento dessas informações indique ao utilizador, quando está fora de casa, onde encontrar raparigas com disponibilidade para noites de sexo casual. O site acaba assim por eleger quais são as cidades mais «hot» de todo o mundo, assim como acontece com as mulheres.

No dia do lançamento do site, a 15 de janeiro, a cidade de São Francisco, nos Estados Unidos, tinha nota 6; o Rio de Janeiro, 6,1, enquanto a desconhecida cidade de Sighisoara, na Roménia, alcançou os 6,9 pontos. Agora, o Rio de Janeiro está no topo do «ranking», ao lado de cidades no México. O viajante também pode dizer se foi «muito fácil» ou «muito difícil» dormir com mulheres em cada um dos locais por onde passou.

Enxurrada de críticas

O «GirlsOnAMap» foi criado por um ex-apresentador de TV: o norte-americano Kevin Leu. Ao falar do projeto no dia do lançamento, Kevin Leu referiu que, só nos EUA, mais de 28% dos homens solteiros que viajam têm entre 18 e 34 anos. Esse público-alvo não está apenas à procura de um passeio turístico, mas sim de uma aventura, ou seja, encontros com mulheres.

«Eles querem escolher um bom destino, mas também estão à procura de uma aventura de férias. E por que não? É o elixir da vida! Com o "GirlsOnAMap", criamos uma plataforma para jovens solteiros em busca de emoção», defendeu Kevin Leu. Mas o criador do site sublinhou que o «GirlsOnAMap» não incentiva o abuso de mulheres ou qualquer coisa parecida com isso.

Apesar das explicações do ex-apresentador, o Twitter recebeu uma grande quantidade de reclamações pelo simples facto de que o site trata as mulheres de forma machista, como se elas fossem atrações turísticas de determinados países. Além disso, ainda há o fato de que ele transforma as raparigas num objeto dentro da página, algo que também ficou evidente com a polémica da aplicação Lulu.

Guerra dos sexos chegou a duas novas redes sociais

Em entrevista ao site Takepart.com, Kevin Leu defende-se: «Nós tratamos as pessoas como objetos o tempo todo. Eu só estou a trazer esse tipo de conversa para o ambiente online». «Quando viajava, eu ficava sempre curioso sobre como eram as mulheres do país», explica.

O norte-americano também nega que o site coloque as mulheres em risco de agressão sexual quando a cidade é classificada como «fácil». «As cartas ainda estão nas mãos delas. Os homens continuarão a ter que se esforçar para tê-las. Em nenhum momento defendemos que eles abusem das raparigas», defende.