Jackson Gordon tem 21 anos e é estudante de design industrial na Universidade de Filadélfia, nos Estados Unidos. Mas Jackson tem também uma espécie de alter-ego: Dark Knight, tal como a alcunha do Batman.
 
O jovem resolveu desenhar e construir um fato blindado, com capa e capacete, como o seu herói, capaz de travar até o ataque de uma faca.


 
O projeto começou há cinco anos, como o próprio conta à CNN. «Primeiro, comecei por fazer um fato… fiz a versão do fato da “Dark Knigh Triology”, de Christopher Nolan, e gostei mesmo desse fato», conta.
 
Mas Jackson sentia que lhe faltava qualquer coisa: não era funcional nem tinha a autenticidade que o fato do herói emanava. «Sentia-me frustrado cada vez que o usava. Limitava a minha mobilidade e eu não gostava disso», sublinha.
 
Em 2014, ele resolveu apostar nas melhorias do traje, de forma a que «não inibisse a mobilidade, que oferecesse verdadeira proteção e se parecesse realmente com o fato do Batman». Tinha de ser forte o suficiente para travar o ataque de uma faca ou de um murro no estômago, mas leve e articulado para se tornar… usável.


 

Jackson lançou então uma campanha de angariação de fundos para comprar os materiais necessários e, em seis dias, conseguiu mais de 1200 dólares.

O jovem usou uma espécie de espuma de memória em áreas chave, capaz de travar o impacto de golpes. Na zona do tórax, braços e nas pernas, usou um plástico resistente, capaz «de travar qualquer coisa, menos um tiro».
 
O capacete foi a parte mais difícil de construir. Mas optou por um molde de plástico, que trabalhou com diferentes argilas e plásticos macios, de forma a obter o formato do capacete do Batman. Foi depois colocando poliuretano líquido, formando o «durável e funcional» capacete.
 
Jackson já tem mostrado o seu fato em encontros da especialidade e agora pondera a comercialização em larga escala. Por enquanto, e até terminar os estudos, isso é apenas um projeto.