A Direção Geral de Polícia Nacional espanhola abriu dois processos que podem acabar em sanção grave a dois agentes de Saragoça que circularam no veículo policial a 150 quilómetros por hora, refere a imprensa esta segunda-feira. Os polícias alegam que estavam em serviço para acudir a uma briga com armas brancas

Os dois polícias seguiam em excesso de velocidade numa vida onde o máximo permitido é de 50 quilómetros por hora. Agora, arriscam uma sanção que pode oscilar entre os cinco dias e os três de suspensão.

«Os dois agentes não são imprudentes e tiveram em conta o facto de estarem numa estrada com quatro faixas, entre as duas e as três da madrugada, sem veículos nem passeio para peões, para acudir rapidamente a um serviço», assinala um porta-voz do Sindicato Unificado da Polícia citado pelo jornal «20minutos».

«Como devem, então, trabalhar os agentes?», questionam os sindicatos. Mas, a questão abre o debate na sociedade de saber qual é a prioridade da polícia: circular com segurança ou a atender à emergência das situações.

Para o porta-voz do SUP espanhol, «o agente deve discernir o que é um serviço urgente e atuar em consequência disso respeitando a segurança dos outros veículos e peões. No caso de Saragoça, creio que o comportamento dos agentes estava justificado», conclui.

Desde que os radares foram instalados, há 15 dias, 20 viaturas da polícia já foram apanhadas em excesso de velocidade.