Luke Reilly estava a surfar, em Kuaotunu, na Nova Zelândia, esta segunda-feira, quando uma orca se aproximou e começou a nadar ao seu lado. A "baleia assassina", como costumar ser designada, aproximou-se quando o jovem estava a 200 metros da costa, mas Reilly já ia preparado para o efeito. 

"Alguém me tinha dito que haviam algumas orcas perto da praia, por isso eu levei a GoPro no bolso e fui surfar", afirmou Reilly, de 27 anos. 


O animal nadou de um lado para o outro junto ao jovem, que estava a praticar Paddleboarding, e ainda lhe tocou na prancha com o bico. Valeu-lhe a grande capacidade de equilíbrio que permitiu que continuasse de pé. 

"Ela subiu lentamente e agarrou a parte de trás da minha prancha e eu gritei 'O que estás a fazer'?"





Reilly ficou "um pouco assustado", embora tivesse acreditado que a orca estava apenas curiosa. 

O jovem, que é fã de Paddleboarding - um desporto que consiste num teste de equilíbrio em que o praticante se tem de manter de pé na prancha -  também teve um encontro semelhante, no ano passado, com uma orca e a sua cria. Só que, dessa vez, os animais não se aproximaram tanto. 

Floppy Halliday, responsável da Organização de Resgate de Baleias, garantiu que a presença de orcas nas águas da Nova Zelândia é normal. 

"É só estar no lugar certo, na hora certa para ver que elas estão lá. Não há duvidas que são curiosas", refere-se Halliday ao caso de Reilly.