Uma família italiana deparou-se com um autêntico tesouro arqueológico, durante umas banais obras na casa de banho, na cidade de Lece, no Sul de Itália. Debaixo do chão, estava uma coleção de vasos e pinturas que datam da época pré-Romana.

«Nos últimos anos, retiramos mais de 5 mil peças de cerâmica que pertencem a várias épocas históricas. E tudo isso foi tirado por mim, meu pai, Luciano, e meus irmãos, com nossas próprias mãos», contou Andrea Faggiano, um dos proprietários do museu Faggiano.

A descoberta começou em 2000, quando os antigos inquilinos, que viviam na casa há décadas, começaram a reclamar de problemas de humidade. «O meu pai era dono de um restaurante e tinha uma casa alugada. Mas depois viver ali por 20 anos, as pessoas que alugavam nos disseram que a casa tinha muitos problemas de humidade e decidiram sair», conta Andrea.

O pai, Luciano, decidiu transformar a casa num restaurante típico italiano. Foi obrigado a fazer obras na casa de banho e a mexer nas canalizações. Pediu ajuda aos três filhos, que perceberam que havia algo estranho. «Deixamos de nos preocupar com os canos para começar a escavar e encontrar mais coisas», contou Andrea à BBC.

Acabaram por concluir que a casa tinha sido construída sobre vestígios deixados pelos messápios, habitantes daquela região italiana cerca de 500 anos antes de os romanos chegarem a Lecce. Entre as relíquias, estão ossários, tanques, quartos e despensas, tudo decorado com desenhos que foram feitos há 2500 anos.

A notícia dos achados chegou aos responsáveis autárquicos, que resolveram fechar a escavação, até encontrarem alguém capacitado para prosseguir com as investigações. Um ano depois, a escavação continuava fechada e o pai Luciano lamentava não estar a ganhar dinheiro com o espaço.

Decidiu então propor à autarquia que fosse a própria família a prosseguir com as escavações. «Eles aceitaram, claro, e houve acompanhamento de vários arqueólogos. Estivemos mais de seis anos dedicados a isso, a desenterrar objetos daquele lugar todos os dias», conta Andrea.

Em vez de abrir o restaurante, Luciano decidiu abrir um museu e, em 2008, enquanto continuavam com os estudos sobre as peças encontradas, inauguraram o Museu Faggiano.