Uma carta escrita por um marinheiro britânico em 1916 durante a I Guerra Mundial, que tinha como destinatários os seus pais, foi entregue à sua neta quase um século depois.

Este facto insólito foi divulgado esta quarta-feira pela biblioteca das ilhas Orkney, norte da Escócia (Reino Unido).

O autor da missiva foi o marinheiro David John Phillips, apelidado como «Dai», que trabalhou na reparação de barcos nas ilhas Orkney durante o conflito militar (1914-1918).

A carta tinha como destinatários os pais do marinheiro, que viviam no País de Gales.

A missiva com quase cem anos está assinada com uma frase: «Do vosso filho de jaqueta azul.»

Com o objetivo de encontrar o autor da missiva, a biblioteca publicou uma imagem da carta no seu blogue na Internet e foi um familiar distante no Canadá, interessado em conhecer as suas origens genealógicas, que acabou por descobrir a neta do marinheiro.

«Ligou-me há cerca de uma semana e disse-me que eu deveria entrar em contacto com o arquivo da biblioteca das ilhas Orkney», relatou a neta de David John Phillips.

«Quando vi a imagem [no blogue], fiquei a saber naquele momento que era o meu avô, reconheci o nome e a morada na imagem da carta. Foi uma mistura de grande emoção, surpresa e incredulidade», acrescentou.

O documento foi encontrado em 1980 atrás de uma lareira de uma casa localizada nestas ilhas, que pertenceu ao marinheiro e à sua mulher, e há cerca de um ano chegou aos arquivos da biblioteca.

David John Phillips casou-se em 1919 e instalou-se nas ilhas Orkney com a sua mulher. Alguns anos depois, o casal mudou-se para Llanelli (oeste do País de Gales), onde tiveram dois filhos.