«Quando fui para me curvar, ouvi um barulho e acabei a tentar arrancar as calças o mais depressa possível para impedir o iPhone de me queimar», afirma Johnson que havia comprado o telemóvel da Apple no ano passado.

O homem foi levado para o hospital universitário de Staten Island, onde passou 10 dias a receber tratamentos. Mike Della, o advogado pessoal de Erik Johnson, garante que já tentou entrar em contacto com a Apple, duas vezes por chamada e outra por carta, mas não obteve qualquer resposta.

Contactada pela CNN, a empresa Apple, declarou que está a investigar o incidente.

O homem, que trabalha como engenheiro numa empresa de elevadores, está agora impedido de trabalhar e, todos os dias, recebe a visita de uma enfermeira para lhe mudar as ligaduras. Enquanto recupera, assegura, nem sequer lhe passou ainda pela cabeça comprar um iPhone novo.