Uma antiga médica chinesa, de 68 anos, colocou um anúncio a pedir «uma filha». Sim, uma «mulher com menos de 40 anos», disposta a olhar por ela e pelo seu marido acamado «como se de uma verdadeira filha se tratasse», já que o casal não tem filhos. 

O anúncio foi colocado perto de um centro de emprego na cidade de Zhengzhou, província de Henan na República Popular da China. A médica reformada oferece, em troca do carinho e atenção desta filha que a adote, um lugar no testamento. A idosa é dona de uma clínica e tem quatro. 

«Pode herdar a minha fortuna se nos entendermos», refere o site de notícias «Shangdu.com», citado pela BBC. 

 

A história tem recebido tanto apoio como desconfiança por parte dos media e das redes sociais chineses. É um anúncio insólito que revela a solidão a que os idosos são votados hoje em dia, com a esperança de vida a aumentar - um caso que se passa na China, mas não é exclusivo deste país - mas, até onde alguém pode comprar o amor de um filho?