Oito soldados do sexo masculino e duas mulheres-polícia terão feito sexo em grupo na divisão policial de Ganshoren, em Bruxelas, durante as buscas pelos suspeitos dos ataques terroristas de Paris, em novembro.

A história é agora contada pelo jornal belga DH que cita polícias daquela esquadra. 

Tudo terá acontecido numa das noites em que estava em curso uma caça ao homem em Molenbeek, na capital belga, tal como em Paris, na sequência dos ataques de 13 de novembro.

Duas polícias, uma pertencente à divisão de Ganshoren (a norte de Molenbeek) e outra que trabalhava naquela zona, terão então participado numa orgia com oito dos 20 soldados a quem aquela divisão policial deu abrigo durante a noite. 

A esquadra encerra às 22 horas e era a partir dessa hora que os militares chegavam para descansar nos dormitórios improvisados. Foi aí que dormiram durante duas semanas, quando a capital belga elevou o nível de ameaça terrorista para máximo risco. 

Terá sido um oficial superior da polícia a descobrir tudo. O comandante Johan De Becker disse a outro jornal, o "The Morgen", que o assunto é "grave" caso venha a ser provado. "Nós só podemos confirmar que 15 a 20 soldados ficaram em Ganshoren nesse período", afirmou.

Foi aberto um inquérito ao caso.