Um homem sem-abrigo de 62 anos descobriu uma conta bancária, da qual se tinha esquecido, com dinheiro suficiente para dar entrada para uma casa. John Helinski viveu durante três anos  nas ruas da Flórida, nos Estados Unidos

De origem polaca, Helinski vivia dentro de caixas de cartão perto de uma paragem de autocarro em Tampa, uma cidade a oeste da Flórida. 

Em declarações à «ABC News», o homem contou que durante todo o tempo que passou na rua viveu «por conta própria» sem a ajuda de terceiros e que fazia tudo para que a sua presença não fosse notada, escondendo-se debaixo dos bancos. 

A conta generosa foi descoberta pelos funcionários da segurança social e pelas autoridades que, para encontrarem um alojamento temporário, precisaram de uma identificação do polaco. Ao inserir os dados da cédula de nascimento, imediatamente apareceu associada uma conta bancária. 

O banco onde Helinski tinha uma conta bancária originalmente chamava-se «Landmark Bank», mas durante um período de intervenção sofreu algumas mudanças, inclusive no nome, o que fez com que o homem se esquecesse. 

Apesar de não fazer nenhum depósito, ia recebendo benefícios da Segurança Social que, como se veio a verificar, eram os suficientes para uma habitação. 

«Acho que ambos estávamos atordoados. Não sabíamos bem o que dizer», afirmou o polícia que ajudou Kelinski a criar a identificação, Dan McDonald. 

Na plataforma online da Segurança Social pode ler-se que os sem-abrigo americanos têm os mesmos direitos e privilégios de receber os benefícios sociais que os outros indivíduos. Caso não possuam conta bancária podem recebê-los através de um familiar ou outro terceiro designado como seu representante.