onde surge com a família com armas na mão

Foi em novembro que Michele Fiore fez as polémicas afirmações, no seu programa semanal de rádio, “ Walk the Talk”, mas só agora as palavras receberam a atenção dos media norte-americanos. A candidata ao congresso dos EUA deixou bem claro que, mesmo se ninguém quiser tomar uma atitude quanto aos refugiados, ela própria estava pronta para agir.

 

“O quê, estão a brincar comigo? Estou prestes a voar para Paris e dar-lhes um tiro na cabeça eu mesma! Não concordo com os refugiados sírios. Não me sinto bem com os terroristas. Estou a favor de abatê-los, apaga-los, de pôr um pedaço de metal nas suas cavidades oculares e acabar com a sua existência miserável. Estou bem com isso”.

Esta não é a primeira candidata Republicana a sugerir um tratamento deste género aos refugiados ou imigrantes vindos de locais como a Síria. Apenas há dias, Donald Trump afirmou que as famílias dos terroristas deviam ser liquidadas e que deveria ser barrada a entrada de muçulmanos nos EUA.

Confrontada com as suas declarações, Michele Fiore afirmou, esta quarta-feira, que não estava arrependida do que tinha dito, porque nunca tinha referido que matava refugiados, mas sim terroristas, de acordo com o  The Independent.

 

“Não vou recuar… Nunca disse que dispararia contra um refugiado sírio, ponto final. Eu disse que se fosse um terrorista ou eu, não hesitaria em matar um terrorista… ponto final”.