Quatro estudantes do Tennessee, nos EUA, foram julgados por atentado ao pudor e dois chegaram mesmo a ser presos, depois de terem aparecido no liceu com as calças descaídas.

Os dois estudantes da Escola Secundária de Bolivar passaram 48 horas atrás das grades com outros criminosos, sem nunca terem estado presos antes.

Uma experiência que Antonio Ammons, um dos alunos, disse, à CBS, ter sido traumatizante e que as autoridades lhe ordenaram ainda que pagasse mais de 250 dólares de multa pelo seu comportamento e pelos custos do tribunal.

Segundo o Huffington Post, os quatro jovens foram detidos entre um e 15 de novembro, porque as calças descaídas violam a política que diz respeito ao vestuário da escola.

O guarda do liceu, Charles Woods, já veio a público dizer que tinha avisado várias vezes os estudantes antes das detenções. Afirmou ainda que Antonio Ammons já tinha sido suspenso no passado “por ter mostrado ligações a gangues e por intimidação”.
 

“Ele anda todos os dias pelo liceu a desrespeitar as regras da escola, o diretor, os professores e os outros estudantes”.


Contudo os pais dos adolescentes presos garantem que terem prendido os jovens por causa das suas escolhas de guarda-roupa “foi um pouco exagerado”.
 

“Talvez coloca-los a fazer algo trabalho comunitário, apanhar lixo, ajudar em canis, coisas desse género. Penso que prendê-los foi ir um pouco longe de mais”, disse um dos educadores, ao WREG.


Usar as calças por baixo do rabo já foi proibido em alguns locais na Flórida e New Jersey. No início de 2015, um político do Alabama propôs sanções para quem optasse por esta escolha de visual, alegando que “Deus não andaria com as calças assim”.