Um panda adotou movimentos comuns às fêmeas grávidas para enganar os tratadores e com isso conseguir tratamento especial: mais comida e melhores acomodações.

A raridade da reprodução nos pandas leva os tratadores a níveis altos de alegria e excitação quando se apercebem que um animal pode estar à espera de bebés. A cadeia de televisão «Sky» avança que foi isso que aconteceu aos tratadores de Ai Hin, um panda chinês que mostrou evidências de gravidez.

Movimentos lentos e quebra de apetite são alguns desses sinais e os tratadores estavam tão felizes com a chegada de novos rebentos panda que até já se tinham preparado para filmar o nascimento dos pequenos.

Tudo caiu por terra quando a perspicaz panda foi submetida a testes médicos. Ai Hin não estava grávida nem tinha estado.

Os tratadores acham que o animal fingiu a gravidez para ser realojada, isolada dos outros animais num quarto com ar condicionado e ainda ter acesso a tratamento alimentar privilegiado.

«Eles recebem mais pão, frutos e bambu, alguns pandas mais espertos fingem gravidez para melhorarem a sua qualidade de vida», disse o perito Wu Kongju, à agência estatal chinesa Xinhua.

Os ursos panda vivem nas montanhas do sudoeste da China e a baixa natalidade da espécie faz deles uma das mais ameaçadas de extinção. A China tem cerca de 1600 pandas em habitat natural e 300 em cativeiro.

«Só 24 por cento das fêmeas férteis reproduzem, o que coloca o panda com graves problemas de sobrevivência da espécie», disse o perito.