Um empresário taiwanês foi condenado a dez meses de prisão por ter cortado uma mão visando enganar o seguro para receber mais de 900 mil euros, divulgou hoje o Supremo Tribunal de Taiwan, confirmando uma sentença anterior.

Em 2011, para reclamar o prémio do seguro que fizera, Hu Chi-Yang declarou à sua seguradora que um ladrão lhe tinha cortado uma das suas mãos durante uma viagem de negócios à província chinesa de Fujian.

Na China, a polícia local conseguiu comprovar ter sido Chi-Yang o comprador do cutelo usado para decepar a mão e, no sangue deixado no local da operação, encontrou vestígios dos anestésicos usados pelo empresário.