«Faça-o pela Dinamarca» é o nome da original campanha lançada por uma agência de viagens dinamarquesa, a Spies Rejser. E façam o quê? «Sexo». Esta foi a forma que a empresa arranjou para combater o decréscimo da taxa de natalidade no país, escreve o jornal britânico «The Independent».

Além dos benefícios do ato em si, a agência oferece três anos de produtos para bebés grátis e uma viagem «amiga das crianças» para a toda a família. Para isso, basta que o casal prove que o bebé foi concebido durante umas férias realizadas através da agência.

A decisão de lançar a campanha foi justificada pela empresa com o interesse do país em combater o declínio da natalidade, apelando, assim, aos dinamarqueses para fazerem sexo e se reproduzirem.

Um relatório oficial datado de Fevereiro de 2013 descreve a taxa de nascimentos, entre mulheres dinamarquesas, como «perigosamente baixa» escreve o jornal «Copenhagen Post». O relatório revela que um em cada cinco casais não tem filhos, apesar da maioria dizer que deseja duas a três crianças. Os casais esperam cada vez mais tempo para serem pais e há menos mulheres em idade fértil.

A campanha utiliza estatísticas, impossíveis de comprovar, mas que são atraentes aos olhos da população. 10% da população é concebida em tempo de férias e 46% dos dinamarqueses tem mais sexo durante este período.

A agência está a levar a campanha tão a sério, que deixa sugestões aos casais que desejam ter filhos como, por exemplo, «fique deitada 15 minutos depois de ter relações» ou os homens «não devem usar calças justas mesmo que gostem de ser ver com elas».

No site há também uma lista de cidades e destinos românticos, que pede às passageiras que introduzam a última data do seu período e, dessa forma, possam planear a viagem para a altura em que estiverem num período fértil.

Os concorrentes que participem na campanha recebem, em casa, um teste de gravidez, após as férias e se tiver um resultado positivo, devem enviar uma fotografia para a agência.