Um homem acusado de roubar o corpo do pai de um cemitério em Detroit, Estados Unidos, admitiu ser culpado. O corpo do pai foi roubado com a intenção de o trazer de novo à vida.

Vincent Bright assumiu na segunda-feira ter desenterrado o corpo do cemitério. Vai ser presente ao tribunal de Wayne County no dia 24 de setembro para conhecer a sentença.

«Ele está a fazer bem», disse o advogado de defesa, Gerald Karafa, à AP na terça-feira. Em troca da confissão de culpa, o advogado afirmou que Bright receberá liberdade condicional com tempo de serviço estipulado. O juiz informou que o homem pode ser libertado sob fiança.

A pena por ter desenterrado o corpo podia chegar aos 10 anos de prisão.

O homem roubou o corpo do pai, com 93 anos, do cemitério de Gethsemane em janeiro e guardou-o num congelador. Familiares denunciaram o caso à polícia, que encontrou o cadáver em sua casa.

Segundo depoimentos da polícia, escreve o «The Huffington Post», Vincent Bright é religioso e roubou o corpo à espera de uma ressurreição. A atitude levou as autoridades a pedir uma análise psicológica ao homem que declarou estar apto para ser julgado.