Um cão-guia atirou-se para a frente de um autocarro escolar para tentar proteger o dono do embate com o veículo, avança a AP. No entanto, quer Figo, o Golden Retriever, quer a dona, Audrey Stone, de 62 anos, acabaram por sair feridos com o embate com o autocarro em Brewster, Nova Iorque.

“O cão absorveu grande parte do impacto e não queria sair do lado da dona. Manteve-se junto a ela. Estava ali para a salvar”, contou o chefe da polícia de Brewster, John Del Gardo. 
O condutor do autocarro contou que não viu nem a senhora nem o cão quando estes atravessavam a rua e acabou por ser acusado de não ceder a passagem aos peões.

As crianças que seguiam no autocarro saíram ilesas do acidente. Já Audrey Stone sofreu fraturas no tornozelo, no joelho e nas costelas e fez uma contusão na cabeça e foi levada para o hospital em Danbury, Connecticut. Por sua vez Figo partiu uma pata e teve de ser operado.

Segundo Paul Schwartz, o empregado da bomba de gasolina que prestou os primeiros socorros na altura do acidente, a pata ficou cortada até ao osso e o cão vai permanecer no hospital veterinário até que Stone tenha condições para tomar conta do cão.

Schwartz afirmou ainda que o cão “permitiu que lhe ligassem a pata sem nenhum problema”. 

“Ele ladrava, chorava e queixava-se. O que queria era estar próximo da sua dona”, contou o jovem, acrescentando que também Stone queria o cão perto dela: “ela continuava a gritar” o nome de Figo enquanto lhe garantiam “que o cão estava bem”.


O condutor foi suspenso enquanto decorre inquérito que terá em conta as câmaras de bordo do autocarro e de outro autocarro que se encontrava na zona no momento do acidente.