“Ele ladrava, chorava e queixava-se. O que queria era estar próximo da sua dona”, contou o jovem, acrescentando que também Stone queria o cão perto dela: “ela continuava a gritar” o nome de Figo enquanto lhe garantiam “que o cão estava bem”.