Um acto de vandalismo deixou paradas três máquinas que estavam a iniciar a obra de construção da estrada que vai ligar o concelho de São Brás de Alportel à Via do Infante. Pneus furados, cabos de água e de combustível cortados, e mensagens de protesto num camião. Os prejuízos são grandes.

Estacionado perto da estrada o camião foi o primeiro alvo do ataque. Mensagens de protesto e todos os pneus furados. Pertence a uma empresa espanhola de Granada, sub-contratada para começar as obras.

«Tenho de esperar que me troquem os pneus, que venha um mecânico para reparar a máquina, é um prejuízo para a empresa. Imagine, venho de Granada, fiz muitos quilómetros para trabalhar em Portugal e acontece isto», conta o funcionário Juan António.

Mais acima no local exacto da empreitada está a máquina de Fernando Ramos. Aqui nada escapou ao vandalismo. Cortaram tudo. Cabos eléctricos, de água, de combustível. Os pneus também foram furados. Um prejuízo que deve ultrapassar os 30 mil euros.

Nesta primeira fase da obra, as duas máquinas iam começar o segundo dia de trabalhos. Estavam a recolher amostras do solo para depois serem analisadas em laboratório. Há alguns meses atrás a população do Sítio dos Machados protestou contra a escolha deste local para fazer a estrada de ligação à Via do Infante. O protesto continua agora mas sem rosto, apenas com actos de vandalismo.