A Sonaecom acredita que uma fusão no sector das telecomunicações continua a ter «racionalidade económica», em Portugal. Mas para já, a empresa garante que «não há qualquer tipo necessidade» de uma operação como esta e afasta mesmo conversações com a Zon.

Sonaecom vai aumentar número de colaboradores

«Não temos necessidade e não há conversas com a Zon Multimédia relativamente a uma fusão. A questão da possibilidade das empresas do sector se consolidarem tem sido muito falada até porque em tempos de crise o país necessita de empresas fortes, com capacidade de internacionalização e de gerar emprego», disse o presidente executivo da Sonaecom, Ângelo Paupério, na conferência de imprensa de apresentação das contas de 2008, que decorreu no Porto.

O responsável admitiu, no entanto, que esta questão continua «a colocar-se do ponto de vista da racionalidade económica» mas no que diz respeito à questão da necessidade, «essa possibilidade não se põe».

Sonaecom quer acelerar o investimento

«Não existem negociações e essa fusão não está na minha agenda».

No entanto, não deixou de admitir que uma operação como esta poderia criar «condições de mercado mais úteis e convenientes para o sector e para o país».