Pelo menos 16 pessoas morreram esta quarta-feira na Alemanha. Por volta das 9h30 (8h30 hora de Lisboa) um ex-aluno atingiu a tiro 13 pessoas num liceu na zona de Estugarda. Após o massacre o atirador pôs-se em fuga, na cidade de Winnenden. Pelo caminho matou ainda mais duas pessoas e feriu dois agentes antes de ser abatido pela polícia.

Entretanto, a polícia de Waiblingen confirma que o atirador foi morto num supermercado a cerca de 40 quilómetros da escola.

Segundo o Bild, um ex-aluno de 17 anos entrou no colégio que tem cerca de 1500 alunos, camuflado de preto com material de combate, e disparou sobre os estudantes. O atirador foi identificado pela polícia como sendo Tim Kretschmar.

Na escola onde ocorreu o tiroteio estão neste momento várias ambulâncias e há também helicópteros a sobrevoar a pequena cidade de 27 mil pessoas. O acto é raro, mas quando acontecem este tipo de ataques o atirador mata-se de seguida ao massacre. Nesta situação isso não aconteceu, o que complicou a actuação da polícia, porque o jovem esteve a monte e armado.

População resguardada

O chefe de redacção do jornal de Winnenden, Frank Nipkau, afirmou à «CNN» que a polícia evacuou todas as escolas num raio de 20 quilómetros de Winnenden, porque existiam indícios que o atirador tinha saído da cidade. Nipkau disse também que as autoridades foram a casa dos pais do alegado atirador e encontraram várias armas legais.

O jornalista garantiu ainda que o tiroteio durou dois minutos numa aula com estudantes do nono ou décimo ano. Por motivos de segurança a população foi aconselhada a ficar em casa. Winnenden é descrita como uma pequena cidade idílica e pacífica com poucos problemas sociais. As causas do tiroteio continuam por revelar.