Um tripulante português dos Cruzeiros Princess foi terça-feira acusado de molestar sexualmente uma passageira num cruzeiro de 14 dias, da Florida para Los Angeles, revelaram as autoridades federais.

Jorge Teixeira foi acusado de abuso sexual agravado. Se for considerado culpado pelo tribunal, o português pode ser condenado a uma pena que pode ir até à prisão perpétua. O acusado deverá comparecer em tribunal quinta-feira, permanecendo até lá detido.

EUA: português suspeito de violação detido pelo FBI

Teixeira, 38 anos, foi detido segunda-feira quando o seu navio atracou ao porto de los Angeles, ao regressar de um cruzeiro ao Canal do Panamá.

A presumível vítima, uma mulher de 42 anos, disse aos agentes do FBI que se encontrou com Teixeira na sala de jantar, onde ele trabalhava como chefe de mesa.

Depois de lhe servir vinho, o português terá tentado beijá-la e depois molestou-a sexualmente, queixa-se a passageira. Dois empregados entraram na sala mas Teixeira mandou-os embora, alega a mulher.

A empresa de cruzeiros disse ter confinado os empregados às suas instalações até os investigadores terem chegado a bordo para investigar as alegações da mulher.

«Embora este ataque tenha ocorrido longe das fronteiras dos Estados Unidos, as autoridades federais têm jurisdição para investigar e punir crimes ocorridos no alto mar», disse o procurador federal Thomas O`Brien.