Portuguesa voluntária na maior favela do mundo

Marta Baeta deu aulas três meses em Kibera, no Quénia
11 de Abril de 2013 às 22:18
Partilhar
Demissão em bloco na urgência do Garcia de Orta

Sete chefes de equipa enviaram carta ao conselho de administração do hospital de Almada. Médicos alegam como motivos da demissão o «agravamento das condições de trabalho», bem como «o risco do ato clínico» e «a segurança dos doentes», que «atingiu um ponto crítico e inaceitável» no serviço de urgência. Duas das oito mortes registadas no início deste ano foram neste hospital