A Unidade Técnica de Apoio Orçamental (UTAO) estima que, no primeiro semestre deste ano, o défice orçamental se tenha situado nos 2,7% do Produto Interno Bruto (PIB), em contas nacionais, uma "melhoria face ao período homólogo", mas alerta para "pressões orçamentais" no segundo trimestre.

Na nota da execução orçamental até julho, a UTAO estima que o défice das administrações públicas em contabilidade nacional (a que conta para Bruxelas) "se tenha situado entre 2,2% e 3,2%" do PIB até junho.

De acordo com a informação disponível, a estimativa realizada aponta para que o valor central do défice tenha ascendido a 2,7% do PIB, não tendo ocorrido medidas ‘one-off’ [temporárias] a registar nos primeiros seis meses do ano", escrevem os técnicos independentes que apoiam o Parlamento.

"A confirmar-se esta estimativa, no período janeiro-junho o défice deverá ter registado uma redução de 1,9 pontos percentuais (p.p.) do PIB face a idêntico período do ano anterior, após ter evidenciado uma diminuição de 2,3 p.p. em termos homólogos nos primeiros três meses do ano", calculam os técnicos que apoiam o Parlamento.

Com esta estimativa, o défice até junho continua acima do objetivo definido para este ano e já está semana reforçado pelo primeiro-ministro, António Costa.

A meta inscrita no Orçamento do Estado para 2016 é de 2,2% e Bruxelas admite que o défice português possa ficar pelos 2,5% do produto.

Ontem mesmo o Presidente da República corroborou o desejo do chefe de Governo em relação á meta do défice para 2016 mas Marcelo reconhece riscos no cumprimento das metas do crescimento

Já o líder da oposição, Pedro Passos Coelho, voltou a dizer que não entende em que números se baseia o Governo para assegurar que vai cumprir a meta.

Os técnicos do Parlamento estimam que para cumprir a meta traçada pela equipa de Mário Centeno nas Finanças, o Executivo tem de conseguir que o "défice ajustado [dos efeitos de sazonalidade sobre a economia] se cifre em cerca de 2,1% do PIB e que o défice global se situe em torno de 1,7%" na segunda parte do ano.