O diário russo Kommersant prevê esta quinta-feira um novo corte no fornecimento de gás da Rússia à Ucrânia se a corporação ucraniana de gás e de petróleo, Naftogaz, não liquidar a dívida para com a Gazprom russa pelos fornecimentos realizados em Fevereiro.

«Se não recebermos 400 milhões de dólares até 07 de Março, no dia seguinte teremos que desligar a Ucrânia novamente», declarou Andrei Kruglov, chefe do Departamento Económico e Financeiro da Gazprom, escreve a Lusa.

Rússia e Ucrânia desbloqueiam passagem de gás

Outro executivo da Gazprom, citado pelo jornal, confirmou que efectivamente se estuda essa possibilidade.

«A empresa vai cumprir os seus compromissos com os consumidores e continuará a transportar gás nas quantidades anteriores, mas o volume que entrará na Ucrânia vai diminuir. Não enviaremos combustível destinado à Naftogaz sem pagamento», precisou.

Na semana passada, a Naftogaz reconheceu que o sector dos serviços comunais lhe deve quase 552 milhões de dólares, o que se poderá repercutir nos pagamentos à Rússia. Ao mesmo tempo, assegurou que espera «acumular a quantia necessária para saldar as contas até 07 de Março».

No início do ano, um conflito entre a Gazprom e a Naftogaz originou a suspensão, durante duas semanas, dos fornecimentos de gás russo à Europa através da Ucrânia.