A engenharia genética está a desenvolver uma técnica que consegue desativar um perigoso retrovírus suíno e tornar os órgãos do porco adequados para o uso em pessoas.O trabalho preliminar, publicado na revista cientifica "Science", divulga que foram feitos testes em embriões de porcos, tendo sido eliminadas todas as células perigosas para os humanos.

Foi através de uma técnica relativamente nova, chamada Crisp, que um grupo de cientistas conseguiu rearranjar códigos de ADN. Através deste método conseguiram desativar retrovírus perigosos presentes no ADN de porcos. Desta forma, conseguiu-se alterar o ADN do animal e torná-lo adequado para o uso em pessoas.

George Church, da Universidade de Harvard, nos EUA, usou a Crisp e acredita que este método de modificação de genes é uma esperança para que órgãos de animais possam ser doados a humanos.

Mas existem algumas preocupações em relação à possibilidade de rejeição e infeção que o retrovírus pode causar nas células humanas e portanto a técnica ainda está em progresso. Serão necessários mais anos de pesquisa e aperfeiçoamento para que seja possível porcos doarem órgãos a humanos.

Se as questões científicas e de segurança forem resolvidas, este método será um grande passo para avanços terapêuticos e poderá aumentar os índices de doação de órgãos abruptamente.