Apesar de a economia portuguesa ter crescido 0,5% no terceiro trimestre do ano, face ao anterior, a Universidade Católica estima que a taxa de desemprego tenha voltado a subir, em 0,4 pontos percentuais, atingindo os 16,8%.

Na sua folha trimestral, o Núcleo de Estudos de Conjuntura sobre a Economia Portuguesa (NECEP) , refere que o Produto Interno Bruto (PIB) terá crescido em cadeia 0,5%, mas «estando o nível da atividade económica agora 6,2% abaixo do observado no 3º trimestre de 2010».

Já a taxa de desemprego terá aumentado entre julho e setembro para os 16,8%, mais 0,4 pontos do que a registada no trimestre anterior, uma evolução que «é consentânea com o nível de atividade económica e com a redução substancial, mas pontual, do desemprego no segundo trimestre do ano».

Para 2014,a Universidade Católica antecipa que a economia registe uma variação nula, tendo em conta que «o ano de 2014 continuará a ter o mesmo tipo de fatores de risco dos últimos anos, incluindo a conjuntura externa, a evolução da crise das dívidas soberanas da zona euro e o grau de compromisso das autoridades portuguesas com o Programa de Assistência Económica e Financeira (PAEF)».

O núcleo refere também que a economia portuguesa poderia já estar numa fase de crescimento muito ligeiro, se não tivesse havido necessidade de medidas orçamentais adicionais.