[Notícia actualizada]

A Oni vai investir mais 22 milhões de euros este ano em redes de nova geração. Este reforço de verba, anunciado esta terça-feira aos jornalistas, perfaz um total de 422 milhões. A operadora já tinha investido cerca de 400 milhões de euros neste tipo de soluções.

A Oni foi a primeira a apresentar ao Governo um programa nesta área, cerca de dois meses depois de ter assinado o protocolo entre o Governo e as restantes operadoras (Zon Multimedia, Sonaecom e PT).

«A empresa já investiu cerca de 400 milhões de euros em soluções para Redes de Nova Geração (RNG) e prevê, no âmbito do programa Oni.pro, investir durante 2009 mais de 22 milhões de euros, o que totaliza 422 milhões de euros de investimento em RNG», disse o presidente da empresa, Xavier Rodriguez Martín, que salientou o aumento em 130% do investimento directo em fibra óptica.

Num encontro que contou com a presença do ministro das Obras Públicas, Transportes e Comunicações, Mário Lino, e do secretário de Estado adjunto, Paulo Campos, a operadora destacou que o compromisso passa por investir 14 milhões de euros na sua actual rede e mais 8 milhões de euros em zonas fora das grandes áreas metropolitanas.

«A Oni compromete-se, em 2009, a aumentar em 12% o investimento global em activos para cerca de 14 milhões de euros», acrescentou.

Xavier Rodriguez Martín frisou ainda que a aposta nas redes de nova geração será feita em projectos regionais específicos em conjunto com os seus parceiros, «num valor estimado de 20 milhões de euros a cinco anos, com o objectivo de instalação massificada de fibra em 300 mil casas».

Oni tem agendada reunião com o BEI

A empresa garantiu ainda que vai criar a «Oni.fibras», uma empresa especializada na gestão e dinamização de activos de fibra óptica e avançou que mesmo sem prestar serviços de comunicações ao mercado residencial, vai disponibilizar esta rede a outros operadores.

O presidente da empresa adiantou ainda que a Oni tem agendada uma reunião com o Banco Europeu de Investimento (BEI), para o inicio de Março, com vista a um possível financiamento para o seu plano de investimentos.

Vai criar este ano mais 40 postos de trabalho

Além disso, a operadora compromete-se a aumentar o seu quadro de colaboradores em 15%, o que permite criar mais 40 postos de trabalho, que se juntam aos actuais 260 colaboradores.

Vai também integrar nos quadros permanentes todos os colaboradores ainda com contratos a termo e compromete-se a aumentar em mais de 20% o número total de horas de formação dos seus quadros.

A empresa diz ainda que «caso as percentagens de crescimento do investimento e a força de trabalho forem replicadas no sector, obter-se-á a criação de 1.900 novos postos de trabalho e um aumento do investimento global do sector em 140 milhões de euros», passando a totalizar 1.340 milhões de euros.