A China revelou imagens de uma sonda que tenciona enviar para Marte até meados de 2020 e está concebida para explorar a superfície do planeta por três meses, avançou a agência estatal Xinhua.

O objetivo daquela país asiático, ao investir num ambicioso programa espacial, é recuperar o atraso em relação aos Estados Unidos e à Europa.

Zhang Rongqiao, o responsável pelo projeto, afirmou ontem que o lançamento da nave deverá realizar-se em julho ou agosto de 2020.

Em 2003, a China tornou-se o terceiro país a colocar um homem no espaço com seu próprio foguetão, depois da ex-União Soviética e dos Estados Unidos.

Após ter apregoado os seus planos para a exploração lua, no final de 2013 o país completou a primeira "aterragem suave" lunar desde 1976 com a nave Chang'e-3 e sonda Jade Coelho.

A última missão espacial tripulada da China é aguardada para outubro e com uma aterragem humana prevista para 2036.

"A sonda [cujas primeiras imagens foram reveladas ontem] irá separar-se do veículo orbital no final de uma viagem de cerca de sete meses, e pousar em uma área de baixa latitude no hemisfério norte de Marte, onde a sonda vai explorar a superfície", disse o responsável.