O YouTube já tinha anunciado, em outubro, a entrada no mercado das plataformas de streaming musical, mas foi apenas nesta quinta-feira que o YouTube Music se estreou oficialmente. A aplicação oferece músicas com e sem vídeo e promete rivalizar com o Spotify.
 

“Estou entusiasmado por poder contribuir para o mercado, em vez de mover os utilizadores através de um ecossistema de aplicações”, afirmou Jay Fowler, o responsável pelo YouTube Music, à AFP.


A nova app está organizada em canais destinados aos artistas e nas sugestões aparecem versões alternativas dos singles, como covers de outros artistas e amadores ou vídeos de concertos. Tudo para assegurar a maior diversidade possível aos utilizadores e uma oferta única.
 

“Na maior parte dos serviços pode ouvir-se o álbum, ou a faixa, mas no YouTube Music pode fazer-se as duas coisas e também ver um vídeo em direto, uma performance, as letras, os remixes e versões a cappela”, explicou Manuel Bronstein, um dos dirigentes do projeto, em outubro.


O sistema de streaming de música está disponível para Android e iOS e é gratuito. Contudo, apenas os utilizadores que sejam subscritores do YouTube Red, lançado em outubro, não vão ser importunados com publicidade.

Esta novidade da maior plataforma de vídeos online tem uma missão clara: tornar o YouTube “uma experiência portátil”, disse Jay Fowler. Os utilizadores podem usufruir do programa online e podem ajustar os filtros da aplicação, para uma escolha de repertório completamente personalizada.
 

“A maioria das pessoas que consome música nos EUA fá-lo no carro e estão a ouvir uma escolha musical altamente repetitiva. Queremos mostrar aos utilizadores que a música tem um valor intrínseco”.