Um retrato íntimo de um casal homossexual feito em São Petersburgo, na Rússia, valeu ao fotógrafo dinamarquês Mads Nissen o Grande Prémio do concurso internacional World Press Photo, hoje anunciado em Amesterdão.

A fotografia, que revela Jon e Alex num quarto em São Petersburgo, é «esteticamente poderosa e revela humanidade», segundo Michele McNally, do júri da 58ª. edição do World Press Photo.
 

«Para as lésbicas, homossexuais, bissexuais, transsexuais e trangéneros (LGBT) a vida tornou-se extremamente difícil na Rússia. As minorias sexuais enfrentam discriminação social e legislativa, perseguição e até violências ataques por parrte de grupos nacionalistas e conservadores religiosos», lê-se na nota do júri.

Para justificar ainda a escolha do Grande Prémio, Michele McNally recordou que «este é um momento histórico para a fotografia. A imagem vencedora precisa de ser estética, de ter impacto e de ter potencial para se tornar icónica».

Mads Nissen, 36 anos, é fotojornalista no diário dinamarquês Politiken e receberá 10.000 euros pelo prémio. Na conferência de imprensa de hoje, em Amesterdão, explicou que o retrato vencedor regista a «história de amor entre dois jovens, Jon e Alex, mas também fala da homofobia na Rússia».
 

Mads Nissen

A fotografia foi feita em 2014, meses depois de o parlamento russo ter aprovado uma lei que proíbe a divulgação de informação sobre homossexualidade a menores de 18 anos e que pode ser interpretada como proibitiva de qualquer tipo de evento público sobre direitos dos homossexuais.

A condição feminina, a vida das crianças, emigração ilegal, vida em cenários de guerra, o combate ao ébola ou as precárias condições de trabalho são alguns dos temas mais abordados este ano entre os premiados.

No total, a organização do World Press Photo premiou 42 fotografias em oito categorias, como assuntos da atualidade, desporto, natureza e retratos.

Ao concurso de 2015 do World Press Photo concorreram 97.912 fotografias, de 5.692 fotojornalistas e fotógrafos de 131 países.

As fotografias premiadas serão exibidas numa exposição internacional que circulará por mais de uma centena de cidades por todo o mundo, incluindo Portugal.

A primeira das exposições acontecerá a 18 de abril, em Amesterdão.