As imagens noturnas surpreenderam até os funcionários do parque de Clashindarroch, onde se tenta preservar a espécie de gatos selvagens escoceses, numa altura em que os seus parenets que antes habitavam a Inglaterra e Gales, há muito desapareceram. Até ver, será o maior exemplar conhecido, com um comprimento do nariz à cauda de aproximadamente 1,2 metros.

Não pude acreditar no que os meus olhos viam, quando olhei pela primeira vez para este gato. É enorme. Um magnífica animal", afirmou Kev Bell, um dos elementos do projeto Wildcat Haven, ouvido pela BBC.

"A besta", como foi alcunhado o gato, é um dos cada vez menos exemplares da espécie que vagueiam pelas montanhas, as Highlands, da Escócia.

No âmbito do projeto Wildcat Haven de proteção à espécie, as filmagens destes animais são conseguidas através da colocação de iscos com comida, de forma a que os gatos selvagens sejam captados quando acorrem a esses locais.

Tenho a sorte de obter imagens de alguns desses gatos fantasmas. Haverá cerca de 10 a 15 aqui em Clashindarroch", afirmou Kev Bell.

Esterilização de gatos domésticos

A organização Wildcat Haven estima que poderá haver apenas 35 exemplares puros de gatos selvagens na Escócia, admitindo-se que o seu cruzamento com animais domésticos tenha sido um dos motivos que levou ao seu desaparecimento noutras regiões da Grâ-Bretanha.

Por isso, o projeto de preservação da espécie envolve a esterilização de gatos domésticos numa vasta zona em redor das Highlands, de forma evitar uma predação excessiva de coelhos e ratos, alimento natural dos felinos.

Estes gatos são uma parte vital da natureza selvagem e ecológica da Escócia. Devem ser protegidos onde quer que vivam. São um dos animais mais raros do mundo", afirma Steve Sleigh, outro investigador da Wildcat Haven, organização que divulgou o filme onde se pode ver o que ficou alcunhado como "A besta".