Se a Internet faz parte do seu dia-a-dia provavelmente já lhe aconteceu ter de esperar mais do que o tempo que queria para poder visualizar uma determinada página. Na maioria dos casos isto acontece devido à quantidade e ao tamanho de imagens que os sites contêm. Mas saiba que, em breve, esta espera deverá fazer parte do passado.

Tudo porque a Google está a desenvolver um novo formato de imagem que pretende diminuir o tamanho dos ficheiros e, garantir assim, uma transferência mais rápida. De acordo com a CNN, o WebP promete diminuir em cerca de 35% o tamanho das imagens.

A gigante americana anunciou, numa conferência em junho, que converteu a maioria das imagens do YouTube para WebP e a velocidade de carregamento do site aumentou cerca de 10%. Pode não parecer muito mas, segundo a Google, tal poupou à totalidade de utilizadores do youtube cerca de 140 mil horas por dia.

O formato também foi testado nos sites Chrome Web Store, Google Play, no Netflix, no eBay e no Facebook.

Além de permitir uma maior compressão de imagem, o WebP também suporta animações que, até agora, estavam restringidas apenas ao formato GIF.

Apesar de ter sido lançado em 2010, os primeiros testes com o WebP revelaram um formato instável que provocava uma série de erros. O Netflix, que começou a experimentar o formato no ano passado, constatou que os leitores de Blu-ray não conseguiam transferir as imagens. No caso do Facebook, muitos utilizadores queixaram-se que o browser não funcionava.

Atualmente, o WebP apresenta-se em versão melhorada e mais eficaz.

É certo que os browsers Mozilla Firefox e Internet Explorer ainda não suportam o formato- razão pela qual os programadores ainda utilizam os formatos tradicionais JPEG, GIF e PNG -, mas ainda assim, há razões para acreditar que, num futuro próximo, abrir e visualizar uma página da Internet será praticamente instantâneo.