As restrições geográficas na disponibilização de conteúdos no Netflix estão a gerar insatisfação em muitos utilizadores. O popular serviço de filmes e séries online existe em 190 países mas os conteúdos disponíveis não acompanham esse número. Por esse motivo, muito utilizadores mudam a sua localização de forma a terem acesso aos conteúdos bloqueados. A empresa já tinha detetado o esquema e agora começou a negar acesso àqueles cuja localização não coincide com o registo.

Esta medida está a ter consequências para aqueles que por questões pessoais ou profissionais se ausentam da localização indicada. As restrições no acesso aos conteúdos estão relacionadas com os direitos de autor e a cedência das emissões nos diversos países. A Netflix afirma que está empenhada na resolução do problema mas admite que ainda existe um longo percurso até poder “oferecer às pessoas em todo o lado os mesmos filmes e séries de TV”.

O descontentamento com a posição da Netflix está lançado nas redes sociais e muitos utilizadores admitem cancelar o serviço e recorrer à pirataria. Para aceder aos conteúdos sem restrições, os utilizadores recorrem a sistemas chamados de VPN, proxies ou smart DNS que de forma geral consegue alterar os códigos identificativos da localização e assim desbloqueia os filmes e as séries.

Adoro o Netflix mas cancelei depois de ter sido um cliente leal durante quase 10 anos. Párem de bloquear VPNs”.

 

O Netflix bloqueou o meu VPN. Se alguém conhecer outro, diga-me.”

Em Portugal são vários os conteúdos que ainda não estão disponíveis no Netflix. E por cá também não é possível utilizar os meus alternativos para mudar o país de acesso para ver os filmes e as séries de outros países.