Um professor de Genética Bacteriana da Universidade do Illinois, nos Estados Unidos, diz ter descoberto uma maneira de reduzir a sensação de ressaca depois da ingestão em excesso de bebidas alcoólicas. O processo passa por mudanças genéticas no processo de fermentação.

Através de um método chamado «faca de genoma», a equipa do investigador Yong-Su Jin conseguiu fazer aumentar a quantidade de elementos nutricionais na fermentação, ao mesmo tempo que reduziu os elementos tóxicos que causam a sensação de ressaca.

Num estudo publicado pela Sociedade Norte-Americana de Microbiologia, o professor explica as dificuldades existentes até agora na alteração genética do vinho: «Alimentos fermentados como o pão, a cerveja, e o vinho contêm várias cópias de genes no seu genoma.Tem sido muito complicado fazer alterações genéticas, porque caso se mude um gene numa cópia do genoma, um elemento não alterado consegue corrigir aquele que tinha sido alterado».

O método descoberto é um sucesso porque, segundo Yong-Su Jin, consegue «penetrar todas as cópias de um gene e parar correções automáticas das alterações feitas».

No estudo publicado, o investigador acrescenta ainda que este processo de alteração genética pode ser utilizado também para introduzir componentes nutricionais em alimentos como a carne, o queijo, pickles e outros que sejam produzidos recorrendo a métodos de fermentação.