O Twitter vai oficialmente banir os conteúdos de cariz sexual da sua aplicação de vídeo: Vine. Um ano após ao surgimento dos vídeos de seis segundos, a empresa decidiu reforçar as suas medidas de segurança e estreitar as suas normas.

O programa tornou-se um local recorrente de vídeos de cariz sexual. A empresa já foi, inclusive, obrigada a alterar a idade mínima para visualização de 12 para 17 anos, depois de o ranking, da App Store, ter classificado o serviço como «conteúdo intenso».

No mês passado um jovem fez suar o alarme, depois de se ter filmado a si a ter relações sexuais com comida e posteriormente ter carregado os seus vídeos para a plataforma.

«Apesar de termos reparado no desenvolvimento da criatividade entre os nossos utilizadores, descobrimos que existe uma pequena percentagem de vídeos que não se enquadra», explicou a empresa no anúncio das novas regras.

Ainda assim, o Twitter não irá bloquear todo o conteúdo relativo a nudez. Existem algumas exceções, nomeadamente, quando se trata de nudez artística ou educacional. Por exemplo, fotos de amamentação e manifestações não devem sofrer qualquer sanção. Em tudo o resto, os utilizadores poderão usar a opção «Denunciar esta mensagem», reenviando de imediato para os responsáveis.

Qualquer pessoa que viole as novas normas ficará com a sua conta suspensa até que elimine o respetivo conteúdo, podendo mesmo o castigo tornar-se permanente.

«Já enviamos uma notificação aos usuários que colocaram conteúdo sexual explícito, avisando-os que têm um certo período para os retirar, usando uma nova ferramenta que criamos» afirmou um porta-voz do Twitter.