A diminuição das capacidades cognitivas à medida que envelhecemos é uma realidade. Agora, através de um estudo norte-americano, investigadores conseguiram mostrar que um videojogo mantém o cérebro dos idosos ativo.

Um estudo da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, e publicado na revista «Nature» na quarta-feira, revela que o cérebro humano é mais versátil do que se pensa e a perda de capacidades cerebrais pode ser controlada mais facilmente.

Um videojogo chamado «NeuroRacer» pretende que os jogadores controlem um carro de corrida à medida que, na estrada, vão surgindo sinais de trânsito que têm que ser respeitados através de um clique num botão, informa a AFP.

Os voluntários recrutados tinham idades entre os 60 e os 85 anos e foram treinados durante um mês, pelo que, após esse período, os idosos jogavam ao mesmo nível de jovens de 20 anos a jogar pela primeira vez.

Durante os testes, os idosos tinham capacetes com sensores que captavam e mediam a atividade cerebral.

Isto mostra que a «multiactividade», ou seja, desempenhar várias tarefas ao mesmo tempo, também pode ser executada pelos mais velhos e estimula o cérebro.

«A descoberta é um ótimo exemplo da plasticidade dos cérebros mais velhos», disse Adam Gazzaley, um professor de neurologia na Universidade.

À medida que os participantes desenvolviam as capacidades no jogo e se tornavam melhores a executar as tarefas, a força cerebral tornava-se mais forte, evidenciando a versatilidade dos campos cerebrais.